29 janeiro, 2013

A Fera, Alex Flinn


Sinopse: Eu sou uma fera. Uma fera. Não exatamente um lobo ou um urso, um gorila ou um cão, mas uma terrível criatura que anda em duas patas — uma criatura com dentes e garras e pelos surgindo de cada poro de minha pele. Sou um monstro. Você acha que estou falando de contos de fada? De jeito nenhum. O lugar é Nova York. O momento é agora. Não sofro de uma deformidade ou uma doença. E vou ficar dessa forma para sempre — destruído —, a não ser que possa quebrar o feitiço. Sim, o feitiço, aquele que a bruxa da minha aula de inglês lançou sobre mim. Por que ela me transformou em uma besta que se esconde durante o dia e rasteja à noite? Vou lhe contar. Vou lhe contar como eu costumava ser Kyle Kingsbury, o cara que você gostaria de ser, com dinheiro, beleza e uma vida perfeita. E aí vou contar como me tornei… A fera.
“Olhei para Kendra. Ela não chorava nem parecia estar com vergonha. Só tinha um olhar intenso, como a garota de um filme antigo do Stephen King que assisti certa vez, Carie, a estranha, que usou poderes telecinéticos para destruir seus inimigos. Por um momento, achei que Kendra fosse fazer isso também, matar as pessoas só com o olhar.
Mas, em vez disso, ela disse, para que apenas eu escutasse:
— Você vai ver.
E foi embora.”
Em inglês, Beastly. Alex Flinn conseguiu recriar a história de “A Bela e a Fera” com toda a perfeição de um conto de fadas e uma pitada de atualidade. A história acontece em nada mais, nada menos do que Nova York. Kyle Kingsbury era o tipo de garoto que qualquer menina gostaria de ter algum tipo de relacionamento. Rico, bonito, filho de um apresentador de TV, tinha os “melhores amigos” que alguém poderia querer. Mas não tinha nem um pouco de bondade ou humildade. Ao se encontrar com Kendra (a bruxa), ela fará com que ele repense sobre o seu conceito de beleza e a grandeza do amor verdadeiro. É aí que Lindy entra no conto. Doce, inteligente, intelectual, causará muitas mudanças nas atitudes e na forma de pensar do protagonista.
“Se eu não tivesse sido transformado, nunca saberia o que estava perdendo.
Agora, pelo menos, eu sabia. Ser uma fera para sempre, se fosse o caso, já era melhor do que qualquer coisa que eu havia sido antes.
Tirei um par de tesouras do bolso, encontrei a mais perfeita das rosas brancas e a entreguei para ela. Eu queria lhe dar tudo, até a liberdade.
Eu amo você, pensei.
Mas não disse nada. Não que eu tivesse medo de que ela risse da minha cara, ela era boa demais para isso. Meu medo era maior: De que ela não dissesse que sentia o mesmo.”
O livro é narrado em primeira pessoa, pelo próprio Kyle. Aquele menino arrogante e preconceituoso acaba desaparecendo no enredo da história e acabamos nos surpreendendo com o que ele se torna e com o modo que passa a pensar sobre a vida.
Já assisti ao filme e afirmo que são um tanto quanto diferentes um do outro. Mas os dois trabalhos encantam completamente o espectador e o leitor.
“Queria ter uma ópera. Queria ter uma catedral. Queria poder escalar até o topo do Empire States, que nem o King Kong. Em vez disso, só tinha os livros; os livros e as ruas anônimas de Nova York com seus milhões de pessoas burras e ingênuas. Eu assustava a mim mesmo.”
Lido em: Janeiro de 2013
Editora: Galera Record
Ano: 2011
Páginas: 320
Nota: ♥ ♥ ♥   

10 comentários:

  1. Tenho muita vontade de ler esse livro! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendadíssimo... É maravilhoso!

      Alice.

      Excluir
  2. Ah! Eu não gosto da Bella (a princesa da Disney) porque todo mundo gosta dela, affe aush Dai, me fazem o filme com meu lindo do Alex Rider, ops Pettyfer, e colocam como par a Vanessa! E colocam ela na capa do livro! Querem me matar mesmo rs
    A história em si, parece bem melhor que o filme provavelmente. Talvez algum dia eu acabe lendo, e descubra que é bom... mas por enquanto não rs
    Apesar disso, sua resenha foi super boa, continue assim, bjs

    ResponderExcluir
  3. Aaaah, quero muito esse livro =D
    Parabéns pela resenha!

    www.resenhasealgomais.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oii, adorei a resenha, parabens.
    Tem um selinho pra você lá no meu blog.

    http://espacinhodoslivros.blogspot.com.br/

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ah, eu gosto da Bela rs
    O filme é realmente maravilhoso, mas garanto que o livro é muito mais emocionante. Aliás, é sempre assim. Eu prefiro os livros, porque eu posso sentir o prazer de tocá-lo, posso imaginar da forma que eu quiser, posso viajar "no meu próprio mundo", entende? E foi o que eu disse na resenha, a Alex conseguiu reescrever todo o conto, mas de uma forma perfeitamente incrível!
    O livro é sensacional, recomendo a todas vocês! E agradeço aos elogios! Espero sempre poder escrever aqui coisas interessantes e que agradem a vocês. Bjs ♥

    Alice.

    ResponderExcluir
  6. Bem ainda não li o livro só vi o filme e foi ótimo vi que tem coisas diferentes mas se o livro for melhor que o filme vou gostar muito

    bjos

    ResponderExcluir
  7. Gostei, na verdade eu gosto bastante desses recontos dessas histórinhas de conto de fadas, ficam bem interessante, esse livro acabou de ir pra minha listinha do skoob.
    Bjos
    www.bibliotecavirtu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu prefiro os livros, Taty. Mas isso vai de cada um, né? Tenho certeza que você vai gostar!

    Eu também gosto Ana Clara, mas na verdade, esse foi o primeiro que eu li, sabe? E simplesmente adorei!

    Bjs, Alice.

    ResponderExcluir
  9. Eu só assisti o filme.
    Tenho o livro, mas ainda não tive tempo de ler.
    A história é muito linda.
    Tomara que o livro seja ainda melhor que o filme.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Gostou? Concorda/discorda? Diga-nos o motivo. Rs.